Gestão Compartilhada / Secretaria Oficiosa de Desenvolvimento Social

Vista do Centro São Paulo

Vista do Novo Tatuapé

PROJETO BRASIL+FELIZ – FIB

Projeto #centrofeliz #bairrofeliz #invisívelsocial

8 Objetivos do Milênio | Ressocialização Social | Gestão Distrital Compartilhada

 

Propósitos: O Ser para Ter

Fortalecer a cultura de cidadania e planejamento, ampliando cada vez mais a participação do cidadão na Gestão Municipal Distrital.

Secretária Oficiosa de Gestão Distrital Compartilhada.

 

Exposição de motivos:

São Paulo é uma capital que tem grande e riquíssimo patrimônio a preservar, ressocializar e conservar. A colaboração e a participação cidadã na gestão da cidade é obrigação e dever de todos.

Há décadas o orçamento participativo, as conferências, os fóruns, as audiências públicas, os conselhos, as assembleias e outros canais têm contribuído com a demonstração de interesse em acertar o caminho para melhorar a vida das pessoas.

Proposta inovadora: Quebra de paradigmas

Secretaria Oficiosa de Gestão Distrital Compartilhada*

 

Há muitas coisas que o governo municipal faz bem quando se trata da cidade num todo. Já a Gestão Distrital Compartilhada foca melhor a sua atuação numa pequena área da cidade (distrito, bairro) aumentando a qualidade dos serviços, identificando áreas comerciais e de varejo junto aos proprietários, moradores, comerciantes, condomínios e usuários locais desenvolvendo os programas de serviços suplementares que cada área, em particular, necessita.

 

A consequência disso é a ressocialização e a transformação de um local, deixando-o mais atrativo para a comunidade.

Conselho Feminino Distrital de Desenvolvimento Socioambiental Sustentável

2017 – São Paulo ganha a implantação da Gestão Urbana Compartilhada, mais um avanço em sua forma inovadora (tecnologia social) de colaborar com o poder público e a comunidade, a criação da Secretaria Oficiosa de Gestão Distrital Compartilhada.

O que mudará: FIB – O Bem é possível

Novo indicador de desenvolvimento que desassocia o econômico, do social e ambiental tendo o indivíduo como elemento principal. Está chegando com o objetivo de agilizar, organizar, ampliar, integrar e colaborar com todas essas atuais formas de participação na gestão de São Paulo. É uma forma inovadora e simples de ampliar o diálogo e entendimento (governo/munícipe) quando os problemas crescem rapidamente.

 

São Paulo é tudo de bom.

Nesta direção o poder público apoiará e incentivará a mobilização social, organizada para promover a capacitação dos representantes das instâncias de participação, criando novos espaços de diálogos, ampliando a cooperação institucional e proporcionando mais transparência e acesso às informações.

A aprovação da lei 12.527 de 18.11.2011, justifica o fortalecimento exitoso da Gestão Distrital Compartilhada aqui apresentada.

Visivelmente trará resultados positivos e tão aguardados para os munícipes, consequentemente para a municipalidade, proporcionando maior abrangência e eficiência das políticas sociais e mobilidade urbana em cinco áreas distintas: centro, norte, sul, leste e oeste.

Praça de Situação e Soluções de Conflitos

Criação de um ambiente configurado na forma virtual e física com a finalidade de disponibilizar dados, informações, orientações e conhecimentos estratégicos de cada distrito atuado, a fim de subsidiar a definição de soluções, otimizar e colaborar com orientação técnica e socialmente correta junto ao poder público.

Com este direcionamento, aumenta a acessibilidade às informações e ao encaminhamento de soluções sobre as ações da administração municipal de forma integrada, constituindo desta forma, um rico instrumento para democratização da informação em diversos níveis dos órgãos públicos e da sociedade.

 

Será de responsabilidade do “Programa” gerar conteúdo e atualização de dados para o Portal Gestão Distrital Compartilhada, atingindo o público alvo detectado como multiplicador a mulher “classe c”.

Considerando que o intuito maior é potencializar, ampliar e incentivar a atuação integrada e intersetorial dos atores da sociedade civil e do poder público constituído, contribuindo de forma inteligente para a transparência e o fortalecimento de seu desempenho. Atuando também no processo de conscientização e capacitação desses atores em articular de forma eficiente com as secretarias temáticas.

Relacionamento e ressocialização

A mobilização social e a sustentabilidade são a bola da vez.

Responsáveis por ampliar, fortalecer as redes organizadas e promover diálogos com o poder público e a comunidade para o aperfeiçoamento da Gestão Compartilhada. Esta energia social visa também o processo participativo existente nas diversas secretarias e órgãos públicos oficiais, potencializando e dando maior visibilidade a essas iniciativas.

Justificando com atuação colaborativa, socialmente correta, o propósito de fortalecimento da cultura de cidadania com o planejamento cada vez mais participativo do cidadão na gestão municipal.

 

Ação Família Cidadã: Prática e Compartilhamento.

Compartilhando ações, a gestão do centro e dos bairros vêm buscar novos caminhos para um centro da cidade cada vez melhor.

Plano de Ação Familiar

Com parceiros envolvidos no projeto será possível viabilizar cursos como oficial da construção civil (retrofit), formação social como relações humanas, ética, cidadania e conteúdos específicos que abordam desde matemática aplicada, alvenaria, acabamento, elétrica, hidráulica, pintura e segurança no trabalho.

Além de qualificação, a ação promove a intervenção física em moradias (família cidadã) durante as aulas. São desenvolvidas práticas como pintura de paredes, reforma do sistema hidráulico e elétrico entre outras ações, aproveitando a oportunidade para a reforma da própria habitação.

Amplia-se desta forma a participação cidadã, fortalecendo os instrumentos de construção e gestão pública sustentável.

Metodologia: Abrindo Caminhos

O Brasil dando mais um importante passo de consolidação da sua cidadania e democracia

Construção Coletiva de Ações Sociais

Lei de Diretrizes e Bases LDB – 9394/96

Responsabilidade Social da Empresa

lei 12.527 /11 – Acesso a informação